• Whittaker e Adesanya decidem campeão único dos pesos-médios no UFC 243
  • Iniciado por Guilherme
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
  • Guilherme
  • Profissional
  • *****

    • 446

    • Masculino
    • Novembro 16, 2019, 02:48:46
    • Brasil
  • mais
Se Las Vegas é a Meca do MMA, pode-se dizer que Melbourne é a terra das surpresas. Recebendo o UFC pela quarta vez das 15 em que o evento desembarcou na Austrália, a cidade terá, pela segunda vez, uma disputa de cinturão. Após o UFC 193, quando Holly Holm chocou o mundo ao nocautear Ronda Rousey - falaremos disso mais pra frente - a organização chega para mais uma disputa de título ao Marvel Stadium. desta vez, pondo frente a frente nada menos que dois campeões identificados com a Oceania: o australiano Robert Whittaker, campeão linear dos pesos-médios (20 vitórias e quatro derrotas, invicto há nove lutas), enfrentará o nigeriano radicado na Nova Zelândia, Israel Adesanya, campeão interino da divisão (invicto em 17 lutas como profissional, sendo seis pelo UFC) na unificação dos títulos. A luta, tida como a maior da história do continente, e que promete abalar não só o país dos cangurus como toda a Oceania. Isso se Robert Whittaker não aprontar uma nova surpresa. Por que nova? Vamos relembrar.

Serviço do UFC 243
Neste sábado, a partir de 19h30 (de Brasília), começa a transmissão ao vivo do UFC 243, direto de Melbourne, na Austrália. Enquanto o Combate e o Combate Play transmitem o card na íntegra e com exclusividade, o SporTV 3 e o Combate.com exibem as duas primeiras lutas ao vivo em vídeo. O site acompanha todo o card em Tempo Real.

Em fevereiro deste ano, no UFC 234, Robert Whittaker poria seu cinturão em jogo contra Kelvin Gastelum na mítica Rod Laver Arena, palco do Aberto da Austrália de tênis - um dos quatro Grand Slams do esporte. Quando parecia que tudo estava pronto, um dia antes do combate, o campeão teve de ser levado às pressas para o hospital, com uma hérnia no abdômen. Mesmo querendo lutar, o australiano foi impedido pelos médicos, e submetido a uma cirurgia de emergência. Sem sua luta principal, a organização recorreu a Anderson Silva e Israel Adesanya.

Os dois concordaram em fazer o evento principal, desde que em três rounds, e não em cinco, como é a regra das lutas principais. Com a vitória sobre o Spider, Adesanya credenciou-se a disputar o cinturão interino contra Gastelum dois meses depois. O nigeriano venceu o americano em uma luta histórica no UFC 236, ficando com o cinturão e, mais do que isso, com a garantia de que enfrentaria Whittaker em seu próximo compromisso.

Esquadrão com Bulldoguinho e Dhiego Lima
Os dois únicos representantes do Esquadrão Brasileiro no UFC 243 são Bruno Bulldoguinho e Dhiego Lima. Estreante no evento, o peso-galo paulista treina com Henry Cejudo, campeão peso-mosca e peso-galo da organização. Com um cartel de 13 vitórias e duas derrotas, o peso-galo encara o alemão de origem libanesa Khalid Taha. Integrante do TUF Brasil 4, no qual foi derrotado nas quartas-de-final por Dileno Lopes, Bulldoguinho teve a luta contra Taha alterada do UFC 242, em Abu Dhabi, para o evento deste sábado, em Melbourne. Vindo de duas vitórias seguidas no torneio "World Fighting Federation", o brasileiro encara um adversário conhecido pelo poder de nocaute. Khalid Taha tem 13 vitórias e duas derrotas no cartel, sendo nove dessas vitórias por nocaute e duas por finalização.

Já Dhiego Lima pode se considerar um veterano do UFC. Em sua segunda passagem pelo evento, o peso-meio-médio brasileiro enfrentará o neozelandês Luke Jumeau. Vindo pela primeira vez de duas vitórias consecutivas na organização, o goiano radicado nos EUA busca subir na categoria, e terá pela frente um adversário que, se não luta há 19 meses - sua última apresentação aconteceu no UFC 221, em fevereiro de 2018, quando venceu o japonês Daichi Abe por pontos - é completo, tendo cinco vitórias por nocaute e quatro por finalização das 13 que tem como profissional.

https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/a-oceania-vai-tremer-whittaker-e-adesanya-decidem-campeao-unico-dos-pesos-medios-no-ufc-243.ghtml